segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Corrompidos


Fiquei parado no túnel, não havia saída;
Tudo era vazio,
Como agora está a mesa daqueles que se empanturram,
Embriagando-se com as lágrimas das crianças que passam fome.
As suas Almas estão sujas pela lama da falsificada democracia,
Que hasteia sua bandeira para justificar sua cavalgada ambiciosa
Em um trem bala que, à queima-roupa, faz vítimas,
Aumentando cada dia mais a montanha dos descamisados
Que abrem o zíper de suas carnes,
Deixando expostos os seus corações, fígados
E os canos de conexão que interligam a tudo
Mas não ligam o Homem à sua Alma.
Se você encontrar o freio
Pare toda essa droga, por favor!
Porque eu também sou vítima
De toda essa ignorância sem controle.


Carlos Reis Agni

Um comentário:

  1. Que blog legal,já estou seguindo;os textos são muito bons!

    Adoraria que visitasse e seguisse de volta o meu cantinho. ^__^

    www.the-fantastic-place.blogspot.com

    ResponderExcluir