sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O sentido das lágrimas


Uma nota sutil entoada em um piano, Quase como um som que não se ouve... Como o grito de um mundo Que já não sente o eco das suas expressões Faz calar-se a garganta, Onde a palavra perdeu o volume. Apenas os gestos tentam expressar O resto de vida em mim. E eu sinto que a minha face Já não dá margem para as lágrimas, Pois tudo está árido demais. E a vida que, num pacto,  É cúmplice da carne, Não me deu nem mais um dia, Nem um instante a mais. Quando dei o último suspiro, Só restou o som do piano. 
Carlos Reis Agni
                                                                  
Carlos Reis Agni

Nenhum comentário:

Postar um comentário